Publicações22

  • Revista Pais e Filhos
    Amigo de estimação
  • Ter um bicho pode ajudar seu filho a exercitar o senso de responsabilidade, a vencer a timidez e até deixá-lo mais inteligente.

    Entre as primeiras 50 palavras que uma criança diz, sete são nomes de animais. Elas amam tanto os bichos, que, segundo o Dr. Marty becker ,autor do livro O poder curativo dos bichos (ed.Bertrand Brasil),cachorro e gato estão no mesmo nível de papai e mamãe. Mesmo assim, confesse: quando seu filho pede um cachorro, a primeira reação é dizer “nem pensar”. Só de imaginar o trabalho, já viu… cocô para limpar, gastos com ração, veterinário … A lista é grande, mas bem menor que a dos benefícios que um bicho de estimação è capaz de trazer, pode acreditar.

    Ao convidar com um animal, a criança exercita a capacidade efetive, aumenta a auto-estema, a confiança e o senso de responsabilidade: aprende a cuidar de um outro ser “O cachorro mexe com o emocional”, diz Marisa Martinez Solano pereira, avó de Pedro e Maria Luiza,presidente da ONG Zooterapia, que tem como objetivo promover o desenvolvimento humano de crianças e adolescentes por meio do contato com animais. um estudo feito pelo professor de desenvolvimento humano e estudos da família, da universidade estadual do Kansas, Robert poresky, constatou que as crianças que tinham algum bicho de estimação possuíam nível superior de desenvolvimento cognitivo,social e motor.ou seja:ter um bicho até pode deixar seu filho mais inteligente.

    A ,maneira com que a criança vai se relacionar com o animal funciona como relacionar um ensaio que vai encontrar vida afora. Assim como o ser humano, o cachorro responde ao tratamento que recebe. Seu filho vai gostar do cão, mas sentira raiva quando ele não obedecer, medo se avançar, ficará decepcionado se ele fizer xixi fora do lugar.”é mais um espaço para a criança exercitar seus sentimentos. Se ela percebe que o cachorro não precisa ser perfeito para ser amado .também entende que não precisa acertar em tudo para ser amada por seus pais”,diz Sabine altheusen, filha de Sonia Reinhold,psicóloga da ONG Zooterapia, que estuda a relação entre pessoa e animais.

    Doutor de Quatro Patas

    Em alguns tipos de tratamento, os próprios bichos são os principais terapeutas. A equoterapia (tratamento que usa cavalos),por exemplo,auxilia na reabilitação de adultos e crianças com deficiência.
    O contato com o animal proporciona autoconfiança, melhora o equilíbrio e a postura, estimula a força muscular, ajuda a superar fobias…

    O projeto cão terapeuta, idealizado pelo zootecnista e comportamentalista Alexandre Rossi, leva cachorros para visitar crianças internadas no hospital do câncer, em são Paulo. ”o cão é livre de qualquer preconceito e vai ao encontro da crianças sem discriminação .”na ONG Zooterapia,a equipe é formada por adestradores, veterinários ,pedagogos,psicólogos,fisioterapeutas e fonoaudiólogos, há atividades escolares para ajudar no aprendizado e no tratamento de crianças com deficiência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *